terça-feira, 22 de junho de 2010

Xenofobia


Encontrei um lugar legal para degustar uma iguaria que não conhecia, mas que me foi uma grata surresa descobrir seu paladar. O lugar se chama La Porteña e a iguaria se chama empanada e, querendo ou não, parece ser a especialidade da casa, que também serve massas e vinhos num ambiente bem receptivo.

O proprietário, Gustavo, é argentino e deve ter uns dez anos que está radicado em Brasília. Quando estava de saída ele me deu a dica de que iria colocar uma TV para passar o jogo da Argentina, no dia seguinte, no mesmo local.

E no dia seguinte estava lá e pude assistir o jogo tranquilamente e num ambiente legal e animado. Foi uma experiência interessante trocar idéias com pessoas de experiências e culturas diferentes.

E foi com um comentário do Gustavo que me veio o estalo, ele apesar de torcer para uma final entre Brasil e Argentina, mas falou, brincando, que receava que teria qe fechar, passar o ponto, etc. caso isto acontecesse.

Esta copa, tocando no assunto, tem me deixado pensativo com o quanto, pelo menos na minha opinião, as brincadeiras com os argentinos estão em quantidade cada vez maior, sendo que algumas chegam a constranger mexendo com estereótipos como se nossos vizinhos fossem gente esquisita e chata que vive a zombar de nós brasileiros, o que justificaria tamanho escárnio de nossa parte.

Bom, nunca vivi em Buenos Aires para poder comparar esta rivalidade. Mas de ver os argentinos que já conheci até hoje tudo isto me parece mais uma coisa fabricada pela mídia e por gente que quer mais é aparecer. Quer dois exemplos? E vind dos dois lados? Galvão Bueno (que sempre acha bom ganhar da Argentina) e Maradona (que vive a repetir que é melhor que Pelé).

Sou um admirador tanto da cultura daquele país (muito mais riquíssima do que o futebol acaba não nos deixando ver) como do futebol de lá, assim como a paixão latina que arasta multidões de apaixonados por aquelas bandas. Por isso recomendo o que estou praticando neste período de copa: criar os próprios conceitos e rever os que já existiam par tratar "os hermanos" com "os irmãos" que compartilham do mesmo continente que a gente. Bem melhor do que dar ouvidos a comerciais de cerveja que dizem ter pena de latinhas que vão para a Argentina.

Ah, e para quem quiser a La Porteña fica na 202 Norte.

2 comentários:

  1. OI Clébio. Esse Gustavo é bem gente boa mesmo. Acredita que ele me ensinou a fazer o tradicional bife de chorizo lá de Buenos Aires? É que uma vez comprei um pedaço de carne dele aí me ensinou o lance. Mostrei ao Humberto, ele botou a receita em prática e o que ele fez saiu praticamente igual ao bife de chorizo argentino. AMEI! Só uma observação: chorizo lá pra eles NÃO é o mesmo que choriço para nós. O bife de chorizo é um bife suculento e super gostoso. O que aqui a gente chama de choriço eles chamam de morcilla, se não me falha a memória.

    Adoramos as empanadas dele, volta e meia a gente vai lá comprar, aproveitando que é mais ou menos perto de casa. Reforço tua dica aí, vale a pena experimentar!

    Quanto aos argentinos, o que sinto é que a tal "rivalidade" é mais futebolística mesmo, e também reforçada pela mídia, apesar que, dos dois lados, sempre há alguns que levam a sério. Bem diferente, por exemplo, das rivalidades entre peruanos e chilenos, dentre outras continente afora, que realmente tem um fundo histórico, coisa e tal, infelizmente.

    Nas vezes que estive na Argentina nunca tive problemas (e vale a pena frisar: em cidades bem diferentes umas das outras). Sempre fui bem tratada. E, pessoalmente, amo a cultura daquele país, os caras são brilhantes na música e em vários estilos, não somente nos tangos e milongas que, acredito, geralmente são os únicos mais conhecidos no Brasil.

    Ah, e tem uma coisa...acredito que seja um pouco injustiça que o Brasil faz com a Argentina em relação às cataratas do Iguaçu...a grande maioria dessas cataratas estão em solo argentino. Temos algumas sim em solo brasileiro mas, diante daquele mundaréu de cachoeiras, são pouquíssimas....e o Brasil costuma vender essa imagem turística como se fossemos os exclusivos "donos" dela...

    Talvez muitos brasileiros tenham preconceito em relação aos argentinos também pelo fato de vários deles subirem ao litoral de Santa Catarina no verão e, de certa forma, se "apoderarem" das praias. Naturalmente, como em toda massa que se reúne em algum lugar, sempre há os bagunceiros e seres indesejáveis...mas daí a taxar todo e qualquer argentino de arruaceiro, de orgulhoso e mais não sei o que, calma lá...não é certo. Nada é 100%...uma vez estive em Bariloche e fiquei com vergonha do comportamento de vários brasileiros ali....

    Por isso digo: preconceito nunca é legal. Vale a pena abrir os horizontes e ver como são, de fato, as realidades...

    Beijos,

    Sil
    esquinadasil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. gustavo mariasis21 de maio de 2011 19:35

    Olá Gente! Antes do que nada, muito agradecido pelas suas declarações; fundamentalmente em relação à suposta rivalidade. No quesito empanadas e outras iguarias, trabalho faz muitos anos na atividade e sempre tentei ser muito generoso em relação a informação requerida. Mias uma vez MUITO OBRIGADO!!!

    ResponderExcluir